Site responsive! Pode ser visualizado em qualquer dispositivo movel.  OdontoConsullteOdontologia



×

Odontopediatria Dra. Maria Tereza Cavalcanti de Carvalho (CRO-RJ 33372)

A Odontopediatria é a especialidade odontológica que cuida da saúde bucal das crianças. O trabalho do odontopediatra é muito importante, pois sabemos atualmente que o medo que as pessoas têm de enfrentar tratamentos dentários vêm das experiências negativas que tiveram quando crianças. Estas necessitam de maior atenção e psicologia na abordagem inicial, para que o contato com a Odontologia não se transforme em um pesadelo. O ambiente atrativo e adequado a idade,além de um relacionamento harmonioso com a profissional ajudará a criança a se sentir confiante e cooperadora.

É importante ressaltar que a conduta dos pais ou responsáveis é imprescindível para a manutenção da saúde bucal de seus filhos. Além das consultas semestrais a Odontopediatra, estes deverão estar atentos com a dieta alimentar em casa e na escola, higiene e maus hábitos (uso de chupeta, dedo e mamadeira) de seus filhos. O perfeito entrosamento entre os pais e a profissional, com a troca de informações importantes, só beneficiará a criança, que crescerá livre de doenças bucais. Hoje sabemos que, as crianças que desenvolvem o hábito de higienização precoce, terão mais chances de se tornarem adultos com uma boa saúde bucal.

Informações importantes:

• As mães devem procurar uma odontopediatra, ainda durante a gravidez, para se informar sobre os cuidados que devem ter a partir do nascimento. Esta já poderá orientar a gestante como esta irá proceder quanto a higienização e alimentação do bebê, além dos cuidados que deve ter com relação as pessoas que irão ter contato com seu filho (como babás, avós, irmãos e etc). Estas pessoas devem estar orientadas de que os acessórios utilizados para higienização e alimentação do bebê (escova de dentes, talheres, copos) não deverão ser compartilhados, bem como as demonstrações de carinho não deverão incluir “beijinhos na boca”. Com a erupção do primeiro dente, começam a ser criadas as condições para a colonização precoce pelas bactérias causadoras da doença cárie, sendo a mãe a principal fonte de transmissão para o filho.

• Mesmo antes da erupção dos dentinhos de leite, as gengivas do bebê devem ser massageadas e a cavidade bucal limpa pelo menos uma vez ao dia, de preferência após a última mamada. Deve se utilizar gaze ou fralda limpa com água filtrada ou uma solução prescrita pelo odontopediatra. Este hábito, além de manter a cavidade bucal higienizada também condiciona o bebê a ter boca manipulada por outras pessoas, facilitando a introdução da escovação e do trabalho futuro do odontopediatra.

• Uma dúvida muito comum é sobre a primeira visita da criança ao odontopediatra. Esta deverá ocorrer por volta de 1 ano de idade, quando o bebê já começará a apresentar os primeiros dentinhos. Neste momento, os responsáveis receberão as orientações necessárias sobre alimentação, higiene e prevenção. A remoção de maus hábitos também deverá será planejada para que ocorra o quanto antes, para não causarem alterações ósseas e dentárias nem traumas à criança.

• É muito importante salientar que as crianças poderão apresentar cáries em idade muito precoce, até mesmo antes de completar 1 ano. Normalmente isso se deve ao hábito de oferecer alimentação com mamadeira com leite, chá, sucos e vitaminas contendo açúcar ou mel, durante o sono, principalmente à noite. São as denominadas “Cáries de Mamadeiras”. Estas são cáries de evolução muito rápida e agressiva, que provocam muita sensibilidade (dor), chegando a causar a destruição dos dentinhos num curto espaço de tempo. A sua progressão poderá acarretar perda de peso na criança (devido à dor na alimentação) e alterações na formação dos dentes permanentes. Por todos os motivos acima, somente o odontopediatra, poderá intervir, orientando os responsáveis quanto a alimentação e higiene e tratando da criança para que esta prontamente se restabeleça.

• Os tombos com traumas na boca são muito comuns a partir do momento que as crianças começam a andar. Dependendo da intensidade do trauma, a gengiva poderá sangrar e se não houver avulsão do dente, este poderá ficar mole, escurecer na hora ou mais tarde. O ideal,seja qual for a intensidade do trauma, é procurar imediatamente o odontopediatra para uma avaliação clínica e radiográfica. Caso ocorra necrose da polpa (nervo), será necessário o tratamento de canal para evitar a perda precoce do dente “de leite” e possível comprometimento do dente permanente.

• Por volta dos 3 anos de idade, a criança costuma gostar de escovar os dentes e quer fazê-lo sozinha. Esta atitude deve ser respeitada e estimulada, acrescentando-se apenas a necessidade de ser supervisionada e ter sua escovação complementada pelo responsável, devido a pouca habilidade motora da criança. Até os 4 anos de idade deve ser utilizado dentifrício sem flúor devido ao risco da ocorrência de fluorose nos dentes permanentes pela ingestão do dentifrício fluoretado. Quando os molares “de leite” (dentes do fundo) começam a aparecer, a higiene deverá ser realizada com a escova, pois estes dentes têm algumas reentrâncias (sulcos) que impedem a limpeza adequada só com a fralda. Recomendam-se 2 escovações por dia, pela manhã e antes de dormir. Nesta idade, não existe um jeito certo de escovar, porém é importante que se limpem todos os dentes de todos os lados, promovendo também uma suave massagem gengival.

• A partir dos 5 anos e meio, poderá ocorrer a erupção dos primeiros molares permanentes. Estes nascem atrás dos dentes de leite sem ocorrer a exfoliação (queda) de nenhum dente. São normalmente os mais sujeitos as cáries extensas e até extrações, pois normalmente os pais acreditam que ainda se tratam de dentes de leite. Portanto, os responsáveis devem ser orientados no sentido de que estes dentes devem ser escovados mesmo nos estágios iniciais. Nesta idade já são recomendadas 3 escovações diárias após as principais refeições, com atenção especial para os dentes definitivos.

• Até os 8 anos, a escovação deve ser supervisionada por adultos, respeitando a habilidade individual de cada criança.

• A escova dental torna-se ineficaz para uma higiene correta quando as cerdas ficam deformadas, sendo necessária a sua substituição. O fio dental deve ser utilizado assim que a criança tenha dois dentes que apresentem contato, pois entre estes é impossível o acesso da escova.

Na Odonto Consullte você poderá tirar suas dúvidas e receber orientações de nossa equipe de odontopediatras para manter a saúde bucal de seus filhos.

 

Fonte: Odonto Consullte


Resp. Técnica:

Dra. Ma de Fátima Schoichet
CRO-RJ: 13701
EPAO-RJ 2420
Resp. Técnico:

Dr. José Jorge Schoichet
CRO-RJ: 13612
EPAO-RJ 2477
Site responsive! Pode ser visualizado em qualquer dispositivo movel.  OdontoConsullteOdontologia
  • sac@odontoconsullte.com.br